A música está presente em diversas esferas sociais. No contexto escolar, as práticas musicais podem contribuir para a formação integral de sujeitos. Um projeto de coral, por exemplo, age como um instrumento pedagógico de transformação e interação social entre os estudantes.

Desde 2022, as atividades de canto, coral e musicalização fazem parte da programação da Escola Estadual Prof. Maria da Glória Costa e Silva, em São Paulo (SP). Na unidade, que atende estudantes nos últimos anos do ensino fundamental e do ensino médio, o professor e músico Márcio Genuíno oferece aulas de canto e oficinas de música dentro da disciplina de projeto de vida. A experiência do coral tem propiciado momentos de troca e de aprendizado entre os alunos, experiências de coletividade, empatia, respeito, além de aumentar a autoestima dos jovens.

Genuíno explica que montar um coral na escola é uma ideia acessível. “É preciso que o professor tenha um conhecimento prévio de música. Não precisa ser um maestro mas precisa ter algum tipo de conhecimento. E, principalmente, tem que ter um olhar atento ao aluno, não só os que tem habilidade musical mas também aqueles que às vezes têm vergonha de se expressar”, conta.

Neste vídeo, o Instituto Claro foi até a escola para acompanhar um dia do projeto de canto e coral e entender seus benefícios pedagógicos.

Veja mais:

Projeto de musicalização leva maracatu para escola pública

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Gamificação: como trabalhar em sala de aula?

Basquete na escola: projeto muda realidade de meninas na periferia de São Paulo

Qual a relação entre escola e movimentos sociais?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.