Você já ouviu falar do Summly? Esse agregador de notícias mobile foi criado pelo inglês Nick D’Aloisio, quando ele tinha 15 anos, e se tornou rapidamente o principal aplicativo do gênero na App Store em 2011. Hoje, aos 19 anos, Nick vendeu seu projeto para a Yahoo! e está desenvolvendo um novo aplicativo para a empresa, o The News Digest.

Nick começou a trabalhar em seu próprio aplicativo por vontade própria, já que, enquanto estudava para o vestibular, o jovem queria achar uma maneira mais rápida para encontrar e unir todo o conteúdo que estava lendo, principalmente em smartphones.

Por essa vontade própria, ou necessidade, vários jovens começaram a empreender desde cedo e, hoje, muitos deles se sustentam com o próprio negócio. Existem alguns desafios, porém, que eles precisam enfrentar para se tornarem verdadeiros empreendedores. A pouca experiência, falta de vivência no mercado e administração do tempo podem ser alguns obstáculos na hora de iniciar uma carreira empreendedora, mas existem maneiras de a escola ajudar os seus alunos a enfrentarem tudo isso e crescerem no mercado empreendedor.

Quem ainda conhece pouco sobre a pedagogia empreendedora, talvez não saiba que ela pode ser aplicada em diferentes faixas etárias nas escolas. Essa metodologia anda em paralelo com as disciplinas comuns ensinadas em sala de aula e não se trata de uma estratégia destinada exclusivamente a preparar os alunos para criar uma empresa. Ela desenvolve o potencial dos alunos para serem empreendedores em qualquer atividade que escolherem, já que aborda as atividades de modo a incentivar os jovens a pensarem de maneira lógica e inovadora.

A pedagogia empreendedora é voltada para a prática e estimula os alunos na solução de problemas de maneira criativa ao apresentarem soluções funcionais. Ela também incentiva a colaboração e a independência, já que trabalha atividades em equipe e ensina sobre liderança com o pensamento coletivo. A busca pelo conhecimento, reconhecimento de oportunidades e inovação são outras capacidades praticadas nessa metodologia.

No ano passado, seis universitários brasileiros participaram do Campus Mobile, um programa que divulga talentos desenvolvedores de soluções inovadoras para dispositivos móveis. Os jovens desenvolveram o aplicativo Block.ino, que ensina lógica de programação a alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio utilizando a linguagem de blocos, e o Motaxis, que tem como objetivo conectar passageiros ao serviço de mototaxi de forma rápida, prática e segura.

Se você também tem uma ideia inovadora para dispositivos móveis na categoria Educação, Facilidades e a nova categoria Jogos, se inscreva na próxima edição do programa Campus Mobile e concorra a uma viagem ao Vale do Silício. As inscrições vão até 27 de novembro deste ano e podem ser feitas pelo site.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

5 livros para entender a medicalização da educação

Obras ajudam a conhecer fenômeno e papel das práticas pedagógicas em seu enfrentamento

há 1 semana
Notícias

6 roteiros de estudo sobre redação do Enem para o professor indicar aos alunos

Materiais trazem revisão de conteúdos e dão dicas sobre escrita e modelo da prova

há 1 mês
Notícias

7 livros para explicar conceitos políticos no ensino fundamental

Alunos podem aprender sobre sistemas de governo e entender participação da política no dia a dia

há 1 mês
Notícias

Museu da Ciência lança tour virtual e gratuito em 3D

Além das exposições, alunos e professores têm acesso a material didático complementar

há 1 mês

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.