No começo deste mês, o Google lançou o Google Classroom (Google Sala de Aula aqui no Brasil), uma ferramenta voltada para educadores, que combina alguns serviços já conhecidos da empresa, como o Google Docs, o Drive, o Gmail e o Hangouts, para facilitar a vida de professores de todo o mundo. O serviço, que faz parte da suite Google Apps For Education, é um LMS, ou “Learning Management System” (Sistema de Gerenciamento de Aprendizado, semelhante ao Moodle: um software que tem como objetivo permitir aos educadores gerenciar o desenvolvimento de seus alunos da forma mais ágil e eficiente possível.

O Google Classroom deixa os professores conectados aos alunos em uma rede, por meio da qual ele pode preparar, enviar e corrigir tarefas, conversar com os estudantes em grupo ou individualmente e sugerir leituras complementares. Ele também auxilia o professor a acompanhar o desenvolvimento dos alunos por meio de tabelas e gráficos comparativos.

Escolas públicas ou sem fins lucrativos podem se inscrever gratuitamente para utilizar o serviço. No caso de instituições particulares de ensino, a empresa cobra uma taxa relativa ao uso dele pelos alunos e docentes. Professores de escolas particulares também precisam comprovar seu vínculo com alguma instituição de ensino para poder usar a ferramenta.

Veja abaixo alguns motivos para dar uma olhadinha nessa novo serviço que o Google disponibilizou:

1. Dispensa papel

A clássica desculpa de que o cachorro comeu a lição de casa não vai colar mais. Com o Sala de Aula, todas as atividades são feitas digitalmente: o professor elabora a tarefa, envia uma cópia para seus alunos e eles, assim que a tenham completado, devolvem-na para ele. Quando for devolver as provas, o professor não vai precisar levar uma mala cheia de papel para o trabalho.

2. Permite dar feedback aos alunos em tempo real

Assim que o professor recebe uma tarefa de algum aluno, ele pode lê-la e corrigi-la, acrescentando comentários e observações. E, se o aluno também estiver online, ele pode conversar com o professor sobre a correção, tirar dúvidas e discutir alterações de nota, na hora. Isso reduz drasticamente o período de tempo entre a realização de um exercício e a correção dele, deixando os alunos mais engajados.

3. Facilita a organização

Um dos principais objetivos do Sala de Aula, segundo Zach Yeskel (gerente da ferramenta do Google) é permitir que os professores passem menos tempo lidando com pilhas de folhas de papel e mais tempo com os alunos. Todos os documentos ficam guardados na núvem, o que significa que organizá-los e buscar entre eles são questões que podem ser resolvidas apenas com alguns cliques.

4. Permite estabelecer prazos

O sistema do Google Classroom permite ao professor definir deadlines para a entrega de atividades. Uma vez que esse horário-limite é atingido, a plataforma não permite mais o envio ao professor. Os alunos que costumam deixar tudo para a última hora terão um motivo a mais para se planejar com antecedência.

5. Não exige presença física

Como todas as tarefas são feitas através da rede, mesmo alunos que estejam afastados da sala de aula por motivos de doença ou viagem podem realizar os exercícios propostos dentro do prazo. Basta ter um computador com conexão à internet em casa.

6. Não tem anúncios

A exemplo de outros serviços oferecidos pelo Google, o Sala de Aula não contém nenhum tipo de propaganda, nem vende suas informações e as de seus alunos para outras empresas com fins publicitários.

7. Possui diversas opções de visualização de dados

Além de juntar todas as tarefas realizadas pelos seus alunos em um só lugar, o Sala de Aula também permite ao professor visualizar os dados sobre os estudantes de várias maneiras. É muito fácil acompanhar como as notas dos alunos evoluíram ao longo do período letivo, ou perceber, por exemplo, se a distância entre a nota mais alta e a mais baixa da turma aumentou ou diminuiu.

8. Já está bombando!

Mesmo tendo sido lançada no começo do mês, a plataforma já recebeu inscrições de mais de 100 mil professores de 47 países diferentes, segundo Milton Burgese, Diretor de Educação do Google no Brasil.

9. Está em português

Até o fim de agosto, o Google pretende lançar uma versão em português da cartilha que explica aos educadores como tirar o máximo de proveito dessa nova ferramenta. Com ela, praticamente não haverá motivo para que os educadores não experimentem o recurso

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Museu da Ciência lança tour virtual e gratuito em 3D

Além das exposições, alunos e professores têm acesso a material didático complementar

há 24 minutos
Notícias

11 opções de avaliação para substituir ou complementar a prova tradicional

Instrumentos permitem averiguar avanços e lacunas na aprendizagem do aluno de forma contínua

há 2 dias
Notícias

10 podcasts para entender os livros do vestibular Unicamp 2022

Análises de especialistas auxiliam estudantes a se prepararem para o exame

há 6 dias
Notícias

“Séries violentas como Round 6 precisam ter mediação de adulto”, alerta ONG

Acesso livre a conteúdos nas plataformas de streaming é desafio para pais e professores

há 2 semanas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.