Com a mobilidade chegando às salas de aula, integrar as redes sociais à educação é uma boa maneira de engajar os alunos e inovar no ambiente de aprendizagem. Uma pesquisa da empresa americana Piper Jaffray, divulgada esta semana, indica que os adolescentes estão começando a sair do Facebook e elegeram o Twitter como a rede social mais importante em seu círculo de amizades. É a primeira vez que um resultado como este aparece em um estudo sobre mídias sociais.

Por isso, selecionamos nove dicas para usar o Twitter de maneira inteligente e a favor da aprendizagem. O objetivo é expandir a produção de conhecimento para além da sala de aula, em um ambiente familiar entre os jovens. Confira!

1. Conecte-se com o mundo

Tanto alunos, quanto professores podem utilizar as redes para entrar em contato com outros alunos e educadores do mundo inteiro, que tenham boas histórias e experiências inspiradoras para compartilhar. Um caminho é encontrar as escolas mais inovadoras do mundo pelo projeto Schools That Work e procurá-las no Twitter. A atividade também pode ser ótima para a aula de línguas, já que os textos serão escritos em inglês ou espanhol.

2. Instigue a pesquisa além do Google

O Twitter é uma excelente ferramenta de busca, onde os alunos podem encontrar materiais de referência provenientes de jornais, revistas e sites sobre os assuntos do cotidiano. O professor pode estabelecer com a turma alguns perfis relevantes para a pesquisa diária e ainda manter, como atividade semanal, um calendário para que os estudantes compartilhem as novas fontes que encontraram.

3. Melhore a comunicação no ambiente escolar

Uma vez que grande parte da comunidade escolar está no Twitter, a rede social pode ser uma ótima ferramenta para melhorar a comunicação entre alunos, professores e pais. Algumas das conversas que acontecem em sala continuam no ambiente virtual. O professor pode enviar referências da web que complementem os conteúdos ensinados ou, ainda, combinar com a turma que a rede social será um canal de “avisos gerais” sobre o dia-a-dia da classe.

4. Inclua as “hashtags” nos conteúdos

As hashtags são, basicamente, uma das maneiras mais eficazes que temos, hoje, para encontrar notícias, opiniões e outros materiais sobre determinado assunto nas redes sociais. Com elas, o professor pode eleger tópicos de discussão e pedir para que os alunos tuitem sobre o tema usando a hashtag. Em uma aula de História, por exemplo, a turma pode combinar o uso da hashtag, #2GuerraTurma9A, para que todos encontrem os materiais dos colegas sobre a Segunda Guerra Mundial. O recurso pode ser útil, ainda, nas saídas a campo, quando os alunos podem fazer relatos em tempo real e o professor pode monitorá-los com as hashtags (#).

5. Faça exercícios específicos

Enviar questionários e exercícios rápidos pelo Twitter pode ser uma boa maneira de chamar a atenção dos alunos. Uma ideia para garantir que todos participem é fazer com que essas atividades somem à nota final do curso. Também é possível utilizar a rede social para dar dicas sobre a próxima prova ou trabalho e até responder perguntas na hora em que a turma estiver estudando.

6. Integre o crowdsourcing aos projetos escolares

O Twitter permite que os educadores proponham aos estudantes a criação colaborativa de projetos. Vale utilizar a restrição no número de caracteres de cada tuíte para, por exemplo, escrever um texto coletivamente – um reconto de uma história conhecida, uma crônica inédita ou um poema coletivo. Para este tipo de atividade, vale usar o recurso das hashtags, para não perder o controle do que está sendo publicado.

7. Trabalhe diferentes gêneros textuais 

Que tal trabalhar críticas, resumos e sínteses com os estudantes? Uma boa sugestão é pedir para que eles leiam obras específicas, assistam a filmes indicados por você ou pela turma ou avaliem um bom álbum musical, por exemplo, e que, na sequência, produzam pequenos textos a respeito. Para deixar a atividade ainda mais dinâmica, o professor pode interagir, fazendo perguntas e pedindo materiais ao aluno. Tudo via Twitter. O importante é aproveitar, da melhor forma possível, os 140 caracteres.

8. Aprimore o vocabulário

Com a internet, os jovens leem e escrevem muito mais e com o uso do Twitter, o educador pode ajudar a enriquecer o vocabulário dos estudantes. Uma atividade interessante é oferecer aos alunos uma nova palavra por dia e pedir para que a turma a utilize em qualquer post que fizer. Além disso, os estudantes também podem levar ao educador tuítes que viram na rede que contenham palavras desconhecidas, para que busquem referências ou o seu significado no dicionário, em sala de aula. Esta atividade também funciona muito bem em cursos de língua estrangeira.

9. Crie um jornal da turma

O professor também pode aproveitar o uso das hashtags para criar um jornal diário da sala. Os alunos podem se dividir de acordo com as editorias, buscar materiais no próprio Twitter para adaptar para o jornal e divulgá-los. A atividade fica ainda mais rica se houver um blog da turma.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

9 planos de aula para ensinar inglês de forma lúdica

Histórias, jogos e música facilitam aprendizagem de tempos verbais e vocabulário na educação básica

há 2 semanas
Notícias

4 livros para desenvolver a inteligência emocional dos alunos

Exercícios ajudam estudante a administrar suas emoções e entender as dos colegas

há 4 semanas
Notícias

4 e-books para desenvolver o ensino híbrido na prática

Obras ajudam professor a mediar aulas presenciais e remotas por meio da tecnologia

há 1 mês
Notícias

5 links para trabalhar identidade no ensino fundamental 1

Tema da BNCC para esta etapa colabora com a formação humana e cidadã do aluno

há 2 meses

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.