Conteúdos

• Literatura de cordel;
• Variação linguística;
• Cultura e tradição popular;
• Xilogravura.

Objetivos

• Apreciar a literatura de Cordel e reconhecer sua importância para a literatura nacional;

• Valorizar a cultura brasileira;

• Reconhecer a literatura de cordel como forma de denúncia às mazelas enfrentadas pelo povo nordestino;

• Conhecer famosos cordelistas brasileiros;

• Compreender o conceito de variação linguística para refletir sobre o preconceito linguístico;

• Estimular a escrita autoral e a reescrita de cordéis;

• Produzir xilogravuras;

• Divulgar o trabalho realizado no blog e no facebook da escola.

1ª Etapa: Introduzindo o tema

Antes de iniciar este trabalho, consulte os links sugeridos na aba “Materiais relacionados”.

Comece a aula com uma problematização instigando os alunos a falarem sobre os seus conhecimentos prévios acerca da Literatura de Cordel. Para tal, você pode fazer perguntas como “Vocês sabem o que é cordel?”; “Vocês já ouviram um cordel?”; “Conhecem algum cordelista?”; “Já ouviram falar de Patativa do Assaré?”; “Sabem quais são os temas tratados nos cordéis da literatura brasileira?”. 

Após este momento de problematização, você deve propor aos alunos que registrem seus conhecimentos prévios em um cartaz intitulado “O que já sabemos sobre a literatura de cordel” e esclarecer que, durante as aulas sobre este tema, eles deverão preencher outro cartaz, intitulado “O que aprendemos sobre a literatura de cordel?”

Para terminar esta etapa inicial, promova a exibição do vídeo recomendado no link 1, aba Para organizar seu trabalho e saber mais. Solicite que os alunos fechem os olhos e desfrutem da leitura. Distribua cópias do cordel lido, promova uma leitura coletiva e peça aos alunos que tentem relacionar as características principais de tal texto, observando a estrutura, o vocabulário e o tema tratado. Após a leitura e a análise, promova uma discussão acerca das descobertas, que devem ser registradas no cartaz “O que aprendemos sobre a literatura de cordel”.

A SECA E O INVERNO

Na seca inclemente no nosso Nordeste
O sol é mais quente e o céu, mais azul
E o povo se achando sem chão e sem veste
Viaja à procura das terras do Sul 

Porém quando chove tudo é riso e festa
O campo e a floresta prometem fartura
Escutam-se as notas alegres e graves
Dos cantos das aves louvando a natura 

Alegre esvoaça e gargalha o jacu
Apita a nambu e geme a juriti
E a brisa farfalha por entre os verdores
Beijando os primores do meu Cariri 

De noite notamos as graças eternas
Nas lindas lanternas de mil vaga-lumes
Na copa da mata os ramos embalam
E as flores exalam suaves perfumes

Se o dia desponta vem nova alegria
A gente aprecia o mais lindo compasso
Além do balido das lindas ovelhas
Enxames de abelhas zumbindo no espaço 

E o forte caboclo da sua palhoça
No rumo da roça de marcha apressada
Vai cheio de vida sorrindo e contente
Lançar a semente na terra molhada 

Das mãos deste bravo caboclo roceiro
Fiel prazenteiro modesto e feliz
É que o ouro branco sai para o processo
Fazer o progresso do nosso país

Patativa do Assaré

2ª Etapa: Ampliando as informações - Exibição de documentário

Nesta etapa, os alunos serão estimulados a saberem mais sobre a literatura de cordel. Para tal, você deverá exibir o documentário recomendado no link 2, da aba Para organizar seu trabalho e saber mais. Seria interessante, caso haja a possibilidade, fazer a exibição em um ambiente exterior à sala de aula, para que os alunos se sintam mais estimulados e interessados pelo vídeo, tendo em vista que o mesmo dura 45 minutos. Ao longo da exibição, faça pausas estratégicas e comente as partes mais importantes, exaltando, sobretudo, a importância do cordel para a tradição nordestina, como veículo de preservação da cultura e de denúncia dos problemas sociais que são enfrentados cotidianamente pela população.

No final da exibição, peça que os alunos escrevam palavras-chaves e frases significativas sobre o que aprenderam a partir do documentário e montem um mural na sala, exibindo a produção dos alunos. Além disso, não se esqueça de solicitar aos alunos que registrem os conhecimentos adquiridos no cartaz “O que aprendemos sobre a literatura de cordel”.

3ª Etapa: Ampliando as informações - Pesquisa

Nesta parte, os alunos serão estimulados a pesquisarem por conta própria mais informações sobre a Literatura de cordel. Leve os alunos à sala de informática e peça a eles que se dividam em duplas e procurem, em sites de pesquisas, diferentes cordéis, imagens de xilogravuras, além de pesquisarem sobre famosos cordelistas brasileiros, destacando a importância de Patativa do Assaré. Solicite que cada dupla escolha um cordelista, selecione um de seus cordéis e prepare uma breve apresentação para a classe. Incentive-os a usarem recursos tecnológicos na apresentação.

Tal apresentação deve seguir as etapas abaixo:

1. Apresentação de informações biográficas sobre o cordelista.

2. Leitura de um dos cordéis do autor escolhido.

3. Breve análise do tema do cordel e do vocabulário utilizado.

4. Reescrita de uma parte do cordel (os alunos deverão escolher um trecho e reescrevê-lo de forma autoral).

Agende a apresentação dos trabalhos com os alunos, explicando cada etapa.

4ª Etapa: Ampliando as informações - Apresentação dos resultados das pesquisas

Nesta parte ocorrerá a apresentação dos resultados obtidos a partir da pesquisa realizada. Solicite que cada dupla apresente as informações pesquisadas. Após as apresentações, incentive os alunos a refletirem sobre os trabalhos que foram expostos, dando ênfase aos temas tratados pelos cordelistas, assim como à variante linguística utilizada por eles. É importante que os alunos reflitam sobre a importância do cordel como forma de manter viva a cultura popular nordestina, além do fato dela representar um meio de denúncia à nação brasileira sobre os problemas que a população nordestina enfrenta cotidianamente. Chame a atenção também para o uso da língua informal, marcada por usos orais, como forma de valorização das diferenças geográficas que marcam a língua portuguesa no Brasil. Aproveite o ensejo para falar sobre o preconceito linguístico e a diversidade da língua em nosso país.

Não se esqueça de solicitar aos os alunos que registrem os conhecimentos adquiridos no cartaz “O que aprendemos sobre a literatura de cordel”.

5ª Etapa: Aprendendo a arte da xilogravura

Nesta etapa, os alunos aprenderão a fazer, de maneira adaptada, as xilogravuras. Para tal, exiba os vídeos recomendados no item 3, aba Para organizar seu trabalho e saber mais.  Após a exibição, divida a turma em duplas e lance o desafio da produção de uma xilogravura que represente um dos cordéis já lidos anteriormente. Disponibilize os materiais necessários para a execução da tarefa. As xilogravuras produzidas devem ser expostas na escola como forma de valorização ao trabalho desenvolvido pelos alunos.

6ª Etapa: Mãos à obra – Produzindo um cordel coletivo

Nesta etapa, os alunos serão convidados a produzir um cordel coletivo, cujo tema deverá ter uma relevância social. Traga para a sala jornais e artigos atuais que falem sobre os problemas que o seu município enfrenta na atualidade. Discuta com os alunos qual a abordagem eles darão ao cordel. A princípio, peça que se dividam em grupos e elaborem uma estrofe a partir de um problema vivenciado pela cidade (Ex.: qualidade da educação, saúde pública, transporte, corrupção, saneamento básico, violência, drogas, etc).

Em seguida, você se colocará como escriba e, no quadro, começará a registrar o cordel da turma a partir das colocações dos alunos. Incentive-os a adequarem o texto, a melhorarem as rimas, a fazerem substituições, a aperfeiçoarem o que produziram nos grupos. Você será um mediador, portanto, deve auxiliá-los, sem que sua opinião prevaleça.

Ao terminarem, peça os alunos que releiam o cordel mais uma vez e façam as mudanças necessárias. Solicite que um aluno faça a cópia do cordel para que a mesma seja publicada no blog e no facebook da escola juntamente com as fotos de todas as etapas do trabalho. Retorne ao cartaz sobre as aprendizagens construídas sobre a literatura de cordel e registre, juntos aos alunos, as considerações finais.

7ª Etapa: Mãos à obra – Ilustrando o cordel coletivo

Nesta parte, os alunos serão motivados a produzirem xilogravuras que ilustrem o cordel coletivo feito por toda a turma. Não deixe de organizar o espaço e o material que será utilizado para tal.

8ª Etapa: Concluindo a tarefa

Para encerrar o trabalho feito pela classe, você deve promover, junto aos alunos, as seguintes etapas:

1. Todo o material produzido ao longo das aulas deve ser exposto na escola para que todos os alunos tenham acesso ao que foi desenvolvido.

2. Publicação do resultado final (cordel e xilogravuras) no blog e facebook da escola.

3. Leitura do cordel para os outros alunos da escola no momento de leitura compartilhada desenvolvido diariamente na escola.

4. Implementação de oficinas artísticas onde os alunos envolvidos no trabalho desenvolvido possam ensinar aos demais a arte da xilogravura.

Materiais Relacionados

1. Leitura do Cordel;

2. Documentário sobre a literatura de cordel no Brasil;

3. Como fazer sua própria xilogravura:
http://bit.ly/2bI3bvMhttps://youtu.be/nrpAjNZ4Ml4;

4. Blog da escola;

5. Facebook da escola: EP BomJesus.

Arquivos anexados

  1. Plano de aula – Literatura de Cordel

Tags relacionadas

1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Avatar
Juliano Fonseca
3 anos atrás

SHOW

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.