Conteúdos

Gênero Charge;
Fontes Históricas;
Antigo Regime;

Objetivos

– Trabalhar o gênero textual charge.

– Analisar fontes históricas.

– Estabelecer relação entre “texto” e “contexto”.

– Caracterizar a organização social do Antigo Regime.

Caro professor, os links para os conteúdos sugeridos neste plano estão disponíveis na aba "Para Organizar o seu Trabalho e Saber Mais". Na aba "Material de Apoio" você encontra este plano de aula disponível para download. 
 

1ª Etapa: Sondagem e sensibilização

Vocês sabem o que é uma charge? O que a caracteriza? O que a diferencia? Lance a questão aos alunos e estimule-os a refletir a respeito. A seguir, selecione charges e projete-as no quadro, ou disponibilize as cópias, de modo a exemplificar o que as caracteriza. Estimule-os a identificar a que se referem as charges. Se julgar interessante, reproduza a seleção a seguir, disponível no link 2 da aba "Para Organizar o seu Trabalho e Saber Mais".





http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=332&total=335





http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=316&total=335







http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=322&total=335





http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=295&total=335



http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=307&total=335





http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=334&total=335





http://www2.uol.com.br/angeli/chargeangeli/chargeangeli.htm?imagem=331&total=335

Comente que a charge é uma representação pictórica de caráter crítico, cujo humor destina-se a satirizar acontecimentos de natureza sociopolítica, em geral. Enfatize que o conhecimento destes acontecimentos faz-se necessário para a compreensão do caráter crítico das charges, ou, como sugere Lessa, “para efetuar o destroncamento semântico determinado entre palavras e imagens”. Acrescente que o vocábulo “charge” deriva do francês “charger” (carregar, exagerar) e alude, portanto, ao caráter burlesco deste estilo de representação pictórica. Compartilhe, se julgar necessário, as considerações de Moreira e Silva a este respeito.



“O termo charge é francês, vem de charger, carregar, exagerar e até mesmo atacar violentamente (uma carga de cavalaria). Este tipo de texto tem caráter temporal, pois trata do fato do dia. Dentro da terminologia do desenho de humor pode-se destacar, além da charge, o cartum (satiriza um fato específico de conhecimento público de caráter atemporal), a tira, os quadrinhos e a caricatura pessoal. A charge […] é o local escolhido pela ironia, metáfora (transferência), pelo contexto, pelo sujeito, para atuar. Por ser combativa, tem lugar de destaque em jornais, revistas e na Internet. Portanto, ampla poderá ser a leitura interrogativa por nela se constatar a presença da linguagem, da história e da ideologia.” (SILVA, C. L. M. e. O trabalho com charges na sala de aula. Pelotas: UFRGS, 2004. p.13. In LESSA, David Perdigão. “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”.)

 


 

2ª Etapa: Problematização

Transcreva, ou projete, no quadro as considerações a seguir.



“Os textos de charge ganham mais quando a sociedade enfrenta momentos de crise, pois é a partir de fatos e acontecimentos reais que o artista tece sua crítica num texto aparentemente despretensioso.” (OLIVEIRA, M. L. Simões de. Charge: imagem e palavra numa leitura burlesca do mundo. p.265. In LESSA, David Perdigão. “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”.)



“Os textos chargísticos constituem, por isso, uma vasta memória social, sem a qual não poderia haver História, que só se constitui pelo discurso. E ainda: “o que merece destaque, porém, é a imprescindível relação do fato histórico com o texto chargístico, este, por recuperar aquele, torna-no memorável.”

(OLIVEIRA, M. L. Simões de. Charge: imagem e palavra numa leitura burlesca do mundo. p.265. In LESSA, David Perdigão. “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”.)



Disponibilize cópias, ou projete no quadro, as charges a seguir.



Com base nas informações apresentadas na legenda das charges, é possível identificar o fato histórico a que se referem? Lance a questão aos alunos e estimule-os a refletir a respeito. Comente que é possível identificá-lo devido à referência ao Terceiro Estado, por exemplo, estamento social que englobava a base da pirâmide social do Antigo Regime. Portanto, é a organização social do Antigo Regime o “fato” histórico a que as charges se referem. 

 

3ª Etapa: Construção do conhecimento

Divida os alunos em três, seis ou nove, grupos, de modo que cada grupo analise e explique aos demais a charge indicada. Transcreva, ou projete, no quadro as questões orientadoras a seguir.



1. Descreva a charge. Quem são as pessoas representadas? Como estão representadas? Há diferenças entre as elas? Quais? O que elas estão fazendo?



2. Há legenda? Qual? Transcreva-a. Qual a relação entre “texto” e “imagem”?



3. De que trata a charge? A que se refere? O que satiriza? Como?



4. Qual o objetivo da charge?



Solicite aos grupos que compartilhem a análise das charges com a turma.

4ª Etapa: Organização do conhecimento

Considerando que é a organização social do Antigo Regime o “fato” histórico a que as charges se referem, é fundamental que os alunos identifiquem os estamentos sociais representados e como estão representados. Explore-os com os alunos. A Figura A, por exemplo, ao retratar o Terceiro Estado carregando os Estados isentos de tributação, satiriza a desigualdade do sistema tributário do Antigo Regime, cuja organização social critica. Já a Figura B alude ao despertar do Terceiro Estado, com a Tomada da Bastilha, símbolo do Antigo Regime. A Figura C simboliza a igualdade tributária, jurídica e independente da condição social do indivíduo, ou, como proclamou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que traduz em palavras os princípios da Revolução Francesa: “a igualdade dos cidadãos perante a lei”.

 

5ª Etapa: Problematização

Transcreva, ou projete, no quadro as considerações a seguir.



“Os textos de charge ganham mais quando a sociedade enfrenta momentos de crise, pois é a partir de fatos e acontecimentos reais que o artista tece sua crítica num texto aparentemente despretensioso.” (OLIVEIRA, M. L. Simões de. Charge: imagem e palavra numa leitura burlesca do mundo. p.265. In LESSA, David Perdigão. “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”.)



“Os textos chargísticos constituem, por isso, uma vasta memória social, sem a qual não poderia haver História, que só se constitui pelo discurso. E ainda: “o que merece destaque, porém, é a imprescindível relação do fato histórico com o texto chargístico, este, por recuperar aquele, torna-no memorável.”

(OLIVEIRA, M. L. Simões de. Charge: imagem e palavra numa leitura burlesca do mundo. p.265. In LESSA, David Perdigão. “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”.)



Disponibilize cópias, ou projete no quadro, as charges a seguir.



Com base nas informações apresentadas na legenda das charges, é possível identificar o fato histórico a que se referem? Lance a questão aos alunos e estimule-os a refletir a respeito. Comente que é possível identificá-lo devido à referência ao Terceiro Estado, por exemplo, estamento social que englobava a base da pirâmide social do Antigo Regime. Portanto, é a organização social do Antigo Regime o “fato” histórico a que as charges se referem. 

 

6ª Etapa: Construção do conhecimento

Divida os alunos em três, seis ou nove, grupos, de modo que cada grupo analise e explique aos demais a charge indicada. Transcreva, ou projete, no quadro as questões orientadoras a seguir.



1. Descreva a charge. Quem são as pessoas representadas? Como estão representadas? Há diferenças entre as elas? Quais? O que elas estão fazendo?



2. Há legenda? Qual? Transcreva-a. Qual a relação entre “texto” e “imagem”?



3. De que trata a charge? A que se refere? O que satiriza? Como?



4. Qual o objetivo da charge?



Solicite aos grupos que compartilhem a análise das charges com a turma.

7ª Etapa: Organização do conhecimento

Considerando que é a organização social do Antigo Regime o “fato” histórico a que as charges se referem, é fundamental que os alunos identifiquem os estamentos sociais representados e como estão representados. Explore-os com os alunos. A Figura A, por exemplo, ao retratar o Terceiro Estado carregando os Estados isentos de tributação, satiriza a desigualdade do sistema tributário do Antigo Regime, cuja organização social critica. Já a Figura B alude ao despertar do Terceiro Estado, com a Tomada da Bastilha, símbolo do Antigo Regime. A Figura C simboliza a igualdade tributária, jurídica e independente da condição social do indivíduo, ou, como proclamou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que traduz em palavras os princípios da Revolução Francesa: “a igualdade dos cidadãos perante a lei”.

 

Materiais Relacionados

– Não deixe de ler a seção “O que é charge” do artigo “O gênero textual charge e sua aplicabilidade em sala de aula”, de David Perdigão Less.

– As charges do Angeli sugeridas na Etapa 1 encontram-se disponíveis aqui.

Se você dispõe de projetor, salve os arquivos, se você não dispõe, faça a impressão das charges que usará.

As charges sugeridas na Etapa 2 encontram-se disponíveis, respectivamente, em:
Link 3

Link 4

Link 5

Arquivos anexados

  1. A Revolução Francesa e o uso das charges em sala de aula

Tags relacionadas

Deixe um comentário

Please Login to comment

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.