Conteúdos

Este roteiro de estudos de biologia trata de heredogramas e probabilidades aplicados à genética. Você irá aprender a interpretar genealogias e a calcular a probabilidade de determinada característica ou condição genética acontecer.

Objetivos

  • Conhecer os símbolos utilizados nos heredogramas;
  • Interpretar heredogramas; e
  • Calcular a probabilidade de determinada característica ou condição genética acontecer.

Conteúdos/Objetos do conhecimento:

  • Heredograma (genealogias);
  • Probabilidade aplicada à genética;
  • Regra do “OU”; e
  • Regra do “E”.

Palavras-chave:

Genética. Heredograma. Genealogia. Probabilidade.

Proposta de trabalho:

O objetivo deste roteiro é auxiliar nos estudos, em casa ou em outro ambiente. Nesse sentido, apresenta um percurso com textos, vídeos e algumas propostas de atividades.

Não é necessário fazer todas as etapas, ler todos os textos, ou assistir a todos os vídeos, mas as questões norteadoras, bem como as subquestões que advêm delas, ajudam na captação do conteúdo inteiro, bem como dos principais conceitos.

Leia os textos propostos buscando as respostas para cada uma das perguntas. Se aparecerem mais dúvidas ao longo da leitura, aproveite para fazer anotações em seu caderno e aprofundar sua pesquisa. Após as leituras de cada um dos textos, escreva um parágrafo resumindo seu aprendizado.

1ª Etapa: Heredogramas

Pergunta norteadora: Como se resolve um heredograma?

Heredogramas ou genealogias são uma forma gráfica de representar o grau de parentesco em uma família – um exemplo são as árvores genealógicas que certamente você construiu na infância. Seu objetivo é auxiliar na compreensão dos cruzamentos ocorridos na família e da probabilidade genética de uma característica ou condição ser transmitida aos descendentes ao longo das gerações. Nesta etapa, você irá conhecer os símbolos utilizados nos heredogramas, como interpretá-los e como resolver problemas representados a partir dos heredogramas. Vamos lá?

Para compreender melhor como criar e interpretar um heredograma, assista ao vídeo:

“Heredograma – super dicas”.

Acesso em 20 de setembro de 2023.

Para conhecer melhor os símbolos utilizados nos heredogramas, leia o texto:

“Heredogramas”.

Acesso em 20 de setembro de 2023.

A partir da leitura e do vídeo, realize os seguintes desafios:

1) Construa um heredograma a partir das informações: um homem com lóbulo da orelha preso teve 3 filhos com uma mulher com o lóbulo solto. O primeiro foi um menino que possui lóbulo preso; o segundo, uma menina também com o lóbulo preso; e o terceiro, um menino com lóbulo solto. O primeiro filho desse casal casou-se com uma mulher que possui lóbulo preso; consequentemente, ele e a esposa tiveram uma menina com lóbulo preso. Já o terceiro filho se casou com uma mulher com lóbulo solto, e tiveram filhos gêmeos dizigóticos (fraternos ou diferentes). Um deles é uma menina com lóbulo solto, e o outro, um menino com lóbulo preso.

2) Considerando que o lóbulo preso é uma característica recessiva, identifique os genótipos de cada indivíduo.

2ª Etapa: Probabilidade aplicada à genética

Pergunta norteadora: Como saber qual operação matemática utilizar em um exercício que envolve a probabilidade em genética?

Essa pode parecer uma pergunta difícil e impossível de ser respondida, mas, com as dicas certas, certamente você nunca mais terá dificuldade em realizar exercícios com tal conteúdo. Basicamente, para resolvermos questões de probabilidade aplicadas à genética, existem duas regras: a regra do “OU” e a regra do “E”. Em cada uma, é utilizada apenas uma operação matemática simples para chegar ao resultado.

Nesta etapa, você irá conhecer cada uma dessas regras e em qual situação utilizá-las.

Para conhecer a regra do “OU e do “E”, leia os textos:

“Regra do OU”.

Acesso em 20 de setembro de 2023.

“Regra do E”.

Acesso em 20 de setembro de 2023.

Após a leitura dos textos, responda às seguintes questões:

  1. Qual regra deve ser utilizada para eventos mutuamente excludentes?
  2. Cite um exemplo de situação para aplicar a regra da resposta anterior.
  3. Qual regra deve ser utilizada para eventos que podem ocorrer simultaneamente?
  4. Cite um exemplo de situação para aplicar a regra da resposta anterior.
  5. Qual operação matemática é utilizada na regra do “E”?
  6. Qual operação matemática é utilizada na regra do “OU”?

3ª Etapa: Cheque seus conhecimentos

1) Considere o heredograma abaixo, no qual os indivíduos em preto são portadores de uma determinada característica:

heredograma

Identifique a afirmativa incorreta:

a) Trata-se de uma característica autossômica recessiva.

b) O genótipo do indivíduo 3 é certamente Aa.

c) Os indivíduos 4 e 7 apresentam os mesmos genótipos e fenótipos.

d) Os indivíduos 1, 2 e 6 têm o mesmo genótipo.

GABARITO: B.

2) Analisando o heredograma a seguir, conclui-se que dois dos 10 indivíduos são vítimas de uma anomalia causada pela ação de um gene recessivo. Assinale a opção que contém os números que representam indivíduos cujos genótipos não podem ser determinados:

heredograma

a) 1, 2, 3, 5 e 6

b) 5, 6 e 7

c) 3, 8 e 10

d) 1, 2, 5, 6, 7, 8 e 10

e) 7, 8 e 10

GABARITO: C

3) Quando analisamos um heredograma de uma característica autossômica e vemos que dois indivíduos com determinado fenótipo geraram um filho com um fenótipo diferente, podemos afirmar, com certeza, que:

a) o filho é heterozigoto.

b) os pais são homozigotos dominantes.

c) os pais são homozigotos recessivos.

d) o filho é homozigoto dominante.

e) os pais são heterozigotos.

GABARITO: E

Disponível em Mundo Educação – UOL

Acesso em 20 de setembro de 2023.

4) Numere no heredograma abaixo as gerações I, II, III e IV e os respectivos indivíduos:

heredograma

a)      Quantos homens estão representados nessa genealogia?

b)      Quantas mulheres estão representadas?

c)      Quantos indivíduos estão aí representados?

d)      Quantos afetados?

e)      Indique – pelos respectivos números – que casais possuem maior número de descendentes.

GABARITO:

a) 9 homens;

b)13 mulheres;

c) 22 indivíduos representados;

d) 19 indivíduos afetados;

e) Casais I- 1 e I-2, casal II-4 e II-5 e o casal III-8 e III-9.

5) O pelo dos porquinhos-da-Índia é determinado por um gene dominante B, e o pelo branco, pelo seu alelo recessivo b. Suponha que II.1 e II.4 não sejam portadores de alelos recessivos. Calcule a probabilidade de um descendente de III.1 x III.2 apresentar pelos brancos.

heredograma

GABARITO:

Do enunciado sabemos que:

O pelo dos porquinhos da Índia é determinado por um gene dominante B.

O pelo branco pelo seu alelo recessivo b.

II.1 e II.4 não são portadores de alelos recessivos.

Então primeiro temos que regredir para determinar a probabilidade de II.3 ser do tipo Bb.

Se I.1 e I.2 são do tipo Bb, e fazemos o cruzamento duplo heterozigoto os possíveis genótipos são: BB, Bb, Bb.

Assim a possibilidade de o indivíduo II. 3 ser: gabarito-heredograma

Agora temos que determinar a probabilidade de III. 2 ser Bb.  Assumindo que certamente II.3 é Bb e lembrando que II.4 é BB, temos que a probabilidade de que o indivíduo seja: gabarito-heredograma

Agora a probabilidade de III. 1 e III. 2 terem um descendente bb quando ambos são Bb, se fazemos um cruzamento duplo heterozigoto, os tipos são: BB, Bb, Bb, bb. Assim, a probabilidade de obter um descendente:gabarito-heredograma

Finalmente podemos determinar a probabilidade de um descendente do cruzamento de III.1 e III.2 apresentar pelos brancos, ou seja, ser do genótipo bb, é:

gabarito-heredograma

gabarito-heredograma

Fonte: UFMG – Genética.

Acesso em 20 de setembro de 2023.

Suponhamos que a cor dos olhos seja estabelecida por pares de genes nos quais C seja dominante para olho escuro e c recessivo para olho claro. Um homem que possua os olhos escuros, mas com mãe de olhos claros, casou-se com uma mulher de olhos claros, cujo pai possui olhos escuros. Determine a probabilidade de nascer uma menina de olhos claros.

GABARITO: Os pares de genes do homem são: C (dominante) e c (recessivo), pois ele possui olhos escuros, mas a mãe tinha olhos claros. Portanto, olho escuro (Cc).

gabarito-heredograma

6) A probabilidade de um casal ter um filho do sexo masculino é 0,25. Determine a probabilidade de o casal ter dois filhos de sexos diferentes.

GABARITO: Se a chance de ter filho do sexo masculino é de 0,25, então a chance de ter um filho do sexo feminino será:

Feminino = 1 – 0,25 = 0,75 = 75%

Masculino = 0,25 = 25%

Filhos de sexos diferentes:

Masculino x feminino = 0,25 * 0,75 = 0,1875

Feminino x masculino = 0,75 * 0,25 = 0,1875

A chance de ter dois filhos de sexos diferentes é:

Masculino x feminino ou feminino x masculino = 2 * 0,1875 = 0,375 = 37,5%.

7) Tendo em vista que a miopia é considerada uma doença recessiva, determine a probabilidade de nascer uma criança míope de um casal normal, heterozigoto para miopia.

GABARITO:

gabarito-heredograma

Crédito: Brasil Escola – exercícios

Acesso em 20 de setembro de 2023.

Roteiro de estudos elaborado pela professora drª. Nathalie Lousan.

Coordenação pedagógica: prof.ª dr.ª Aline Bitencourt Monge.

Revisão textual: professora Daniela Leite Nunes.

Talvez Você Também Goste

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.