Conteúdos

Resumo:

Este roteiro de estudos traz esclarecimentos acerca de 10 dúvidas frequentes relacionadas à escrita da língua portuguesa para te ajudar a acertar na redação.

Objetivos

Objetivo(s) de aprendizagem:

  • Entender questões relacionadas às 10 dúvidas de português abordadas neste roteiro de estudos; e
  • Entender como utilizar as informações trazidas neste material para escrever melhor e acertar na redação.

Conteúdos / Objetos do conhecimento:

  • Onde ou aonde?
  • Em cima ou encima?
  • Demais ou de mais?
  • Haver ou a ver?
  • Através de ou por meio de?
  • Ao encontro de ou de encontro a?
  • Afim ou a fim?
  • Mal ou mau?
  • Mais ou mas?
  • Alto ou auto?

Palavras-chave:

Língua portuguesa. Redação. Dúvidas de português.

 Proposta de trabalho:

Este roteiro de estudos reúne dez dúvidas de português, trazendo esclarecimentos acerca de cada uma delas.

Bons estudos!

1ª Etapa: Onde ou aonde?

“Onde” e “aonde” são dois termos gramaticalmente corretos, que indicam o lugar. No entanto, eles são usados em contextos diferentes.

“Onde” é um advérbio de lugar, usado para perguntar ou referir-se a um lugar em que algo está localizado.

Exemplos:

  • Onde fica a biblioteca?
  • Eu fui ao parque onde costumo caminhar.

“Aonde”, por outro lado, é a união da preposição “a” com a palavra “onde”, sendo usado quando a frase indica movimento em direção a um lugar específico (e, por isso, exige o uso da preposição).

Exemplos:

Aonde você vai?

Vou aonde você quiser.

2ª Etapa: Em cima ou encima?

“Em cima” e “encima” são dois termos que existem na língua portuguesa, mas têm usos e significados distintos.

“Em cima” é usado para indicar que algo está posicionado acima de outra coisa ou em um local mais elevado.

Exemplos:

  • Coloquei o livro em cima da mesa.
  • O gato está em cima da árvore.

“Encima”, por sua vez, é uma forma verbal do verbo encimar, que significa colocar em cima de, ou estar situado acima de.

Exemplos:

  • A estrela encima a árvore de Natal.
  • A presilha encima o cabelo da moça.

3ª Etapa: Demais ou de mais?

“Demais” e “de mais” são expressões distintas e têm usos diferentes na língua portuguesa.

“Demais” é um advérbio de intensidade que significa “excessivamente”, “além do necessário” ou “muito”. Ele indica uma quantidade ou intensidade maior do que o esperado ou desejado.

Exemplos:

Estou cansado demais para sair esta noite.

Trabalhei demais ontem.

“De mais” é uma locução adjetiva que demonstra quantidade, sendo oposta à expressão “de menos”.

Exemplos:

Tem açúcar de mais neste bolo.

Tinha gente de mais no mercado hoje.

4ª Etapa: Haver ou a ver?

“Haver” e “a ver” são expressões corretas, porém com usos diferentes na língua.

“Haver” é um verbo que pode ser usado como sinônimo de “existir”, “ocorrer” ou “acontecer”.

Exemplos:

Há muitas pessoas na festa.

Havia muitas crianças naquela escola.

“A ver” é uma expressão que indica relação, conexão ou pertinência com algo. É utilizada para estabelecer uma relação entre duas coisas ou para indicar que algo está relacionado ou tem importância em determinado contexto.

Exemplos:

Essa questão não tem nada a ver com o assunto principal da discussão.

O seu comentário tem a ver com o que será dito a seguir.

5ª Etapa: Através de ou por meio de?

Muito embora sejam frequentemente utilizadas como sinônimos, os termos “através de” e “por meio de” têm significados diferentes quando consideramos a norma culta da língua portuguesa.

“Através de” carrega consigo a ideia de atravessar, estando ligada ao movimento físico de passar transversalmente.

Exemplos:

O cachorro passou através do vão do portão.

Eu vi as luzes através da janela.

“Por meio de”, por outro lado,  significa “por intermédio de”, trazendo a ideia de instrumento, de caminho.

Exemplos:

Eu o conheci por meio de um amigo.

A comunicação acontece por meio de cartas.

6ª Etapa: Ao encontro de ou de encontro a?

“Ao encontro de” e “de encontro a” têm significados diferentes e são utilizados em contextos distintos.

“Ao encontro de” é uma expressão que indica concordância, conformidade ou algo que vai ao encontro dos interesses, desejos ou necessidades de alguém. Indica uma situação em que algo está alinhado ou em harmonia com outra coisa.

Exemplos:

As medidas propostas vão ao encontro das necessidades da comunidade.

Meus interesses vão ao encontro dos seus.

“De encontro a” é uma expressão que indica oposição, choque ou colisão. É utilizada para indicar uma situação em que algo vai de encontro aos interesses, desejos ou expectativas de alguém, sendo oposto ou contrário ao que é desejado.

Exemplos:

Suas ações vão de encontro aos princípios éticos da empresa.

O rapaz perdeu o controle do veículo e foi de encontro ao poste.

7ª Etapa: Afim ou a fim?

“A fim” e “afim” são expressões diferentes e têm usos distintos na língua portuguesa.

“A fim” é uma expressão que indica uma finalidade, um objetivo ou uma intenção.

Exemplos:

Estou a fim de sair para jantar hoje à noite.

Vou acordar cedo, a fim de não me atrasar para o trabalho.

“Afim” é um adjetivo que indica semelhança, afinidade ou parentesco entre duas coisas ou pessoas. Também pode indicar proximidade de interesses ou características.

Exemplos:

Temos gostos musicais afins.

Eles têm um objetivo afim.

8ª Etapa: Mal ou mau?

“Mal” e “mau” são palavras homófonas, o que significa que elas têm pronúncias iguais, mas significados diferentes.

“Mal” é um advérbio que pode ser usado para indicar algo que está sendo feito de forma inadequada, com qualidade ruim, de forma negativa ou que resulta em um efeito negativo. “Mal” é o oposto de “bem”.

Exemplos:

Ele se sente mal.

Ela se expressou mal na reunião.

“Mau”, por outro lado, é um adjetivo que indica algo que é de má qualidade, prejudicial, nocivo ou que tem um caráter ruim. “Mau” é o oposto de “bom”.

Exemplos:

Ele é um mau aluno.

O tempo está mau hoje.

9ª Etapa: Mais ou mas?

“Mais” e “mas” são palavras frequentemente utilizadas de forma incorreta pois, embora semelhantes, têm diferentes significados.

“Mais” é um advérbio de intensidade que indica quantidade adicional, aumento, comparação ou acréscimo. “Mais” é o oposto de “menos”.

Exemplos:

Ele quer mais sorvete.

Este livro é mais interessante do que o outro.

Por sua vez, “mas” é uma conjunção adversativa que indica oposição, contraste ou restrição entre duas ideias.

Exemplos:

Eu quero ir ao cinema, mas estou sem dinheiro.

Ela é inteligente, mas não se esforça o suficiente.

10ª Etapa: Alto ou auto?

“Alto” e “auto” são palavras homófonas, ou seja, têm pronúncias iguais e significados diferentes.

“Alto” é um adjetivo (oposto de “baixo”) que se refere a algo que está em uma posição elevada, de grande altura ou que possui um som de volume elevado.

Exemplos:

Ele subiu no alto da montanha.

O som da música estava alto.

“Auto” é um termo que pode ter significados diversos, tais como cerimônias de caráter legal, ordens de autoridades, documentos oficiais e um tipo específico de representação teatral. Além disso, também é usado como abreviação da palavra “automóvel” e ,por fim, como prefixo que, aglutinado a outras palavras, traz a ideia de “si mesmo”.

Exemplos:

Cuidar da autoestima é importante para o desenvolvimento pessoal.

Uma das obras pelas quais Gil Vicente ficou famoso é O Auto da Barca do Inferno.

Roteiro de Estudos elaborado pela Professora Daniela Leite Nunes.

Coordenação Pedagógica: Prof.ª Dr.ª Aline Monge.

Talvez Você Também Goste

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.