Muito mais do que um tema a ser trabalhado apenas nas aulas de geografia, a interpretação de mapas é um tópico fundamental para que os alunos entendam relações entre tempo e espaço. Ao produzir e ler esse documento, os estudantes são capazes de conhecer melhor diferentes locais e entender relações complexas envolvendo dados ambientais, econômicos, sociais e populacionais que ajudam a entender diferentes fenômenos.

Para conseguir interpretá-los corretamente são necessários conhecimentos que fazem parte da “gramática” própria dos mapas, composta de elementos como escalas, legendas, cores etc. E tudo isso precisa ser ensinado.

Nesta entrevista, Sueli Furlan, professora do curso de geografia da Universidade de São Paulo (USP), fala sobre a importância da disciplina na nossa vida, explica quais são os elementos essenciais para a interpretação de mapas e fala sobre as melhores formas de trabalhar esse material com alunos de diferentes faixas etárias.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Pensadores na Educação: Alexei Leontiev e o desenvolvimento da psique humana

Pensadores na Educação: Walter Benjamin, indústria cultural e a aprendizagem

Pensadores na Educação: Pierre Bourdieu e a reprodução das desigualdades na escola

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.