Começo de mais um ano letivo. Esse é o momento oportuno para fazer um raio X dos saberes e conteúdos já bem assimilados pelos alunos e dos pontos que precisam de maior atenção. Será que toda a turma já lê convencionalmente? Que gêneros textuais eles já conhecem? Como estão os conhecimentos sobre o sistema numérico e de outras habilidades matemáticas fundamentais?

A avaliação diagnóstica, também conhecida como sondagem, é um instrumento essencial para identificar, individual e coletivamente, quais conteúdos curriculares devem ser trabalhados com mais ênfase e quais as estratégias mais adequadas para isso. Além disso, ela também funciona como uma análise global do ensino na escola, já que os resultados das diferentes turmas de um mesmo ano podem ajudar a promover reflexões importantes para o planejamento de projetos e atividades.

Mas como fazer uma boa avaliação diagnóstica? Na entrevista, a coordenadora pedagógica da escola estadual Livio Marcos Guercia, em Diadema, região metropolitana de São Paulo (SP), Francine Carollo da Silveira responde a essa e outras perguntas e traz dicas para ajudar professores e gestores a realizarem sondagens nos anos iniciais do ensino fundamental.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Modelo de simulação da ONU na escola estimula respeito a pensamento divergente

Racismo nos clássicos da literatura brasileira: como abordar o tema com os alunos?

Professores da rede pública combatem invisibilidade indígena nos currículos escolares

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.