“A principal experiência que a escola pode propiciar é a experiência concreta e afetiva do convívio. Botar as crianças dos mais diversos perfis para conviverem, brincarem juntas, para estudarem, para colaborarem, terem tarefas juntas.”

A afirmação é do professor e pesquisador da PUC-SP Alípio Casali, organizador do livro “Diversidade na Educação – Implicações Culturais”, finalista do Prêmio Jabuti 2017 na categoria educação. Na entrevista, ele aponta caminhos para a promoção da diversidade nas escolas.

Para o autor, a adoção de uma visão eurocêntrica no ensino e a consequente exclusão da perspectiva de negros e indígenas no currículo escolar reforça a não adoção da diversidade no ambiente do ensino e aprendizagem. A solução para isso passa, em sua avaliação, não só pelo cumprimento da lei, como a que trata da obrigatoriedade do ensino de história e cultura afrobrasileira, mas na convivência diária com a diversidade.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Educação tecnológica para meninas estimula a aptidão pelas ciências exatas

Projeto com cães na escola trabalha desenvolvimento pedagógico

Saiba como enriquecer as férias escolares

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.