"Se alguma criança não for livre da falta de escola, ninguém será livre da falta de escola". O trecho é do novo livro do escritor e professor Mário Sérgio Cortella, “Educação, Convivência e Ética”, lançado em março. Em entrevista exclusiva para o programa, ele conta da necessidade de aprender a ampliar o olhar para viver no coletivo, superando uma visão individualista. “Toda a vez que temos algo para poucos, não temos qualidade, temos privilégio”, analisou.
 
Também, nesse programa: está surgindo um movimento de produção de filmes ligados à educação brasileira. A opinião é do diretor do documentário “Quando Sinto que Já Sei”, Antônio Sagrado. Para a doutora em Comunicação Cláudia Mogadouro, assim como o cinema encontra na escola inspiração, a escola também deve utilizar o cinema para educar já que a linguagem audiovisual traz em si potencial para o ensino.
 
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Contação de histórias ajuda a ensinar cultura africana na escola

Como implementar a lei do ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena nas escolas?

Qual o papel da escola no combate à violência contra crianças?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.