Confira o vídeo com Libras e audiodescrição:

O ensino de gêneros textuais é uma prática recomendada pelas diretrizes curriculares. Segundo a educadora que ministra formação de professores em língua portuguesa, Patrícia Calheta, documentos como os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), publicados em 1997, já recomendavam o trabalho com os gêneros do discurso de forma ampla.

Também, tanto as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) como a recente Base Nacional Comum Curricular (BNCC) preconizam que a exploração de diferentes gêneros textuais já comece no início da escolarização, no ciclo de alfabetização, e deve ir se tornando mais complexa ao longo do percurso escolar.

Importante ser ressaltado o potencial do uso dos textos em situações comunicativas reais para propiciar a aprendizagem significativa. “Isso não vem à toa. Vem pelo fato de que, ao eleger o gênero do discurso, você abre uma gama de possibilidades em relação ao aprendizado das crianças”, avalia Calheta.

Na entrevista, a especialista explica o que são os gêneros textuais e fala sobre a importância de trabalhá-los em sala de aula desde a alfabetização, além de comentar atividades para serem realizadas no ensino fundamental.

Confira o vídeo com Libras e audiodescrição:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Pensadores na Educação: Alexei Leontiev e o desenvolvimento da psique humana

Pensadores na Educação: Walter Benjamin, indústria cultural e a aprendizagem

Pensadores na Educação: Pierre Bourdieu e a reprodução das desigualdades na escola

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.