A área de tecnologia ainda é majoritariamente masculina, principalmente nos cargos de liderança. Uma das formas de mudar esse cenário é incentivar que meninas em idade escolar se interessem pelo segmento.

O “Mais Meninas na Tecnologia” é uma das iniciativas que têm esse objetivo. A mestra em tecnologias da informação, comunicação e multimédia pelo Instituto Universitário da Maia, na cidade do Porto, em Portugal, e fundadora do projeto Larissa Vitoriano destaca nessa entrevista a importância do incentivo, as principais dificuldades para meninas se interessarem por TI, como incentivá-las, além dos benefícios pedagógicos.

De acordo com Vitoriano, esse estímulo começa com a inserção das meninas a partir dos oito ou 10 anos de idade. “Uma vez que você tem acesso às ciências exatas, o seu raciocínio lógico melhora. Você consegue resolver problemas de maneira mais assertiva, uma vez que você desenvolve essas potencialidades”, explica.

Segundo a especialista, a educação tecnológica é fundamental para a materialização das ideias e o desenvolvimento de aptidões. “Quando você tem acesso a atividades de impressão 3D, você consegue materializar suas ideias numa perspectiva de produção de ciência”, completa.

Vitoriano explica ainda que a escassez de mulheres na tecnologia, de maneira geral, passa pelo estereótipo de que a área é basicamente masculina.

“Nós, mulheres, usamos a tecnologia, mas não estamos na esteira de produção dessa tecnologia. Por isso quando ela chega para a gente, ela vem tão cheia de características que não fazem parte do nosso dia a dia. [É fundamental] que elas participem do desenvolvimento dos softwares em todas as suas camadas. A importância é o quanto a gente consegue tornar a área mais inclusiva, com diferentes recortes”, analisa Vitoriano.

Clique no botão acima e assista à íntegra da entrevista.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Projeto com cães na escola trabalha desenvolvimento pedagógico

Saiba como enriquecer as férias escolares

Livros didáticos podem ser mesclados com outras ferramentas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.