Os diferentes elementos da cultura digital já fazem parte do dia a dia, dispositivos tecnológicos estão por toda a parte. Para o pesquisador e professor de educomunicação na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP), Richard Romancini, a conexão entre as pessoas torna o momento atual propício para o ensino e aprendizagem de forma colaborativa. Há possibilidade de troca de experiências ligadas às práticas cotidianas, aproximando os professores do universo dos alunos.

Apesar disso, a entrada das inovações no cotidiano escolar se dá a passos lentos. O receio e a falta de familiaridade de professores com as novas linguagens são frequentes e explicam parte da questão. Na entrevista, Romancini também analisa os desafios da escola em articular o currículo com a cultura digital. Ainda, entre os assuntos tratados estão o potencial educacional do smartphone e das redes sociais, além das diferenças entre ensinar a tecnologia – quando a preocupação é educar para as diferentes linguagens digitais; ensinar com a tecnologia – quando se pode usar os dispositivos para ensinar as disciplinas; além de ensinar para a tecnologia – ao pensar a educação para o uso eficiente das tecnologias de uma maneira mais ampliada.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como integrar alunos com deficiência em escolas públicas?

Métodos pedagógicos: método Waldorf se orienta por ciclos de sete anos

Métodos pedagógicos: método Montessori privilegia autonomia dos alunos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.