Estimular a imaginação e aproximar crianças e jovens da literatura por meio da escrita é a realidade do projeto “Fábrica de Livros”, que funciona há quase 10 anos na Escola Municipal Tarsila do Amaral, em São Paulo, com mais de 100 títulos e 3.000 cópias produzidas.

A ideia do professor de educação digital Luís Mário da Conceição é incentivar os alunos a produzirem suas próprias histórias. “O principal é o empoderamento: o aluno saindo do nível de consumidor de conteúdos para produtor”, diz.

A coordenadora pedagógica da EMEF Tarsila do Amaral, Lidiany Nunes, aponta que vê alunos se colocando no lugar de protagonistas e com benefícios em todas as disciplinas escolares. Relatos de alunos corroboram a importância pedagógica do projeto, como Kamilly Barreto (13 anos) que já escreveu seu primeiro romance.

Neste vídeo, Conceição também mostra o passo-a-passo de como produzir um livro dentro da escola, com custo médio de R$ 10/cada. O professor ensina ainda como registrar, criar a capa, fazer a encadernação, vender e arrecadar fundos para produzir novos títulos.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Aulas de reforço de matemática facilitam aprendizado com exemplos do cotidiano

Como implementar a monitoria aluno-aluno na escola?

“Lojinha” na escola ensina conceitos de economia a partir do cotidiano dos alunos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.