A utilização da tecnologia junto ao ensino trouxe avanços nas escolas técnicas públicas do estado de São Paulo (Etecs), segundo pesquisa, divulgada neste mês. Entre os professores, 57% responderam que foi positiva a utilização de um portal educacional para a comunicação com os alunos, enquanto 35% acreditam que melhorou às vezes e 7% disseram que raramente isso aconteceu.

Leia também:
 
Já entre os estudantes, o portal melhorou a comunicação para 28% dos entrevistados. Chegou a 43% aqueles que disseram trazer benefícios às vezes e a opinião dos alunos que acharam ter melhorado apenas raramente atingiu 29%. Para a pesquisa, foram entrevistados mais de 40 mil alunos e dois mil professores nas Etecs, no segundo semestre de 2013.
 
Em 2010, educadores e estudantes passaram a ter o acesso ao portal desenhado para as Etecs pela Clickideia Tecnologia – empresa que ganhou licitação para desenvolver o produto junto ao Centro Paula Souza, autarquia do governo paulista responsável pelas Etecs. No ambiente, há recursos como exercícios, produção de jornais online, editor de histórias em quadrinhos e jogos educativos. Dentre as possibilidades, o professor pode, por exemplo, publicar um roteiro de atividades para os alunos estudarem em casa ou disponibilizar exercício extraclasse.
 
Veja também:
 
O campo Exercícios Online é o recurso mais acessado do site, seguido do Baú de Ideias. “O Baú é como se fosse um grande blog em que alunos e professores postam o que quiserem. Com isso, conseguimos descobrir o potencial gigante de uma comunidade escolar. Recebemos hoje em torno de 300 textos por dia”, explica o diretor geral da Clickideia, Manoel Dantes.
 
Além de textos, os tipos de conteúdos postados podem ser variados como vídeos, jogos e podcasts. “Ninguém precisa ser programador. Trata-se de uma plataforma amigável. Percebemos que quando você oferece um espaço, uma ferramenta, a comunidade escolar produz e tem uma interação. Forma-se uma rede de comunicação entre alunos e professores”, afirma Dantes.
 
Para os alunos, ainda de acordo com a pesquisa, o portal repercutiu em uma melhora frequente de seu rendimento escolar de 19%, enquanto 52% acreditam que essa melhoria se deu às vezes, e 29% raramente. Já sobre desempenho, 39% afirmaram que o portal contribui frequentemente, 45% apontam como às vezes e para 16%, apenas acontece raramente.
 
“O uso da tecnologia já é um avanço. Mas acho que tem que crescer, porque cada aluno tem um jeito de aprender. Um faz isso vendo imagens, outro lendo, ou ouvindo, outro jogando. Talvez o grande desafio que estamos tentando construir é o ensino adaptativo, uma ferramenta que vai traçar um perfil da capacidade de como o menino aprender”, analisa. Segundo Dantas, a partir de 2015 o portal deverá trabalhar com a sala de aula invertida (Saiba o que é sala da aula invertida aqui).
 
Outro desafio revelado pela pesquisa é a adequação pedagógica do conteúdo. De acordo com o estudo, 53% dos professores responderam que esse objetivo se cumpre parcialmente. Enquanto 38% acreditam atender plenamente e 3% disseram atender inadequadamente. Já 6% não utilizaram o portal até o momento.
 
Aula no laboratório de informática da Etec Sapopemba (Crédito:
Divulgação Centro Paula Souza)
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Conheça 9 dinâmicas para ensinar matemática a aluno com TDAH

Atividades lúdicas aliadas a conteúdos curriculares ajudam a trabalhar atenção e memória

Dissecação de flores ajuda a abordar angiospermas nas aulas de biologia

Atividade permite ao aluno identificar cada parte da planta e sua função na reprodução

Confira 11 orientações para ensinar educação musical a alunos surdos

Professores podem desenvolver atividades que explorem a vibração do som com toda a turma

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.