Como a humanidade evoluiu até resultar no Homo sapiens? Para responder a essa questão, o professor titular do departamento de genética e biologia evolutiva da Universidade de São Paulo (USP), Walter Alves Neves, elaborou 12 vídeos sobre o tema para o Canal USP. A série “A saga da humanidade” está disponível online e gratuitamente. No material, Neves apresenta os pontos principais do caminho trilhado entre o ancestral comum ao homem e aos chimpanzés até o aparecimento do Homo sapiens, 200 mil anos atrás.

Em 30 anos como pesquisador da evolução humana, Neves reuniu réplicas de crânios das espécies de grandes símios e de hominídeos. Nos vídeos, ele relata hábitos e características de cada espécie: do Sahelanthropus tchadensis ao Homo neanderthalensis.

“Perguntar se nós, humanos, descendemos do macaco é inadequado – somos macacos. A evolução que resultou no Homo sapiens não foi linear, e sim feita de idas e vindas”, disse o pesquisador para a Agência Fapesp. “Ficamos bípedes não de uma vez só, mas aos poucos – durante milhões de anos, os hominídeos viveram entre as árvores e o solo: a chamada bipedia facultativa”, complementou.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Tirinha explica para crianças e adolescentes como insetos aquáticos povoam riachos

“Ciclos” é iniciativa do biólogo e pesquisador Luciano Queiroz e do cartunista Marco Merlin

há 3 anos
Notícias

E-book gratuito da USP ensina métodos de aprendizado de 8 línguas

Material didático tem recursos digitais comentados e recomendações de leitura

há 4 dias
Notícias

9 podcasts sobre livros do vestibular da Fuvest 2022

Análises de especialistas ajudam alunos a se prepararem para ingresso na USP

há 3 semanas
Notícias

Jogo online ensina sinônimos e antônimos com ritmo de frevo

Game relançado pela Fapesp relaciona dança com conteúdo de língua portuguesa

há 4 semanas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.