Instituto NET Claro Embratel

Instituto NET Claro Embratel, Plataforrma voltada a educar para empreender

Home Reportagens Especiais

Em semana presencial do Campus Mobile, universitários trocam experiências e têm projetos avaliados por especialistas

icon_twitter


06 FEVEREIRO 2012
Rafael Barrera
Em semana presencial, os universitários assistiram a palestras sobre diferentes temas relacionados à mobilidade


“Estamos criando um contexto criativo, estimulante e desafiador para os participantes e desejamos boa sorte a todos vocês.” Foi com essas palavras que a professora e pesquisadora Roseli de Deus abriu a semana presencial do Campus Mobile, que reuniu 46 jovens empreendedores na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, entre os dias 30 de janeiro e 3 de fevereiro. Nos cinco dias, universitários de todas as regiões do Brasil assistiram a palestras, participaram de oficinas e puderam apresentar seus projetos para uma banca formada por especialistas da Claro, do LSI-TEC, da Motorola e da Movile.

O evento, realizado pelo Instituto Claro, tinha como objetivo proporcionar aos jovens selecionados uma imersão no mundo mobile, por meio de formações e trocas de conhecimento e experiências. Seja nas oficinas de design e usabilidade de aplicativos, de softwares para celulares (Arduino) e sistemas, nas bancas de orientação, na visita à fábrica da Motorola, nas seis palestras que assistiram sobre o mercado de aplicativo, as tendências tecnológicas, entre outros temas, e até nos momentos do cafezinho, o interesse por ampliar o conhecimento sobre o desenvolvimento de dispositivos móveis foi o foco dos participantes e dos organizadores.

Em Jaguariúna (SP), onde estiveram no segundo dia de atividades, os mobilianos acompanharam as etapas de produção dos celulares Motorola, desde a fabricação das placas, até a embalagem do produto. Os jovens também participaram de um desafio virtual de desenvolvimento de aplicativo, e ao final um tablet foi sorteado entre os participantes.

Rafael Barrera
Mesmo no cafezinho os desafios da mobilidade pautaram as conversas dos universitários
Já as oficinas realizadas na dependência da Poli foram uma oportunidade de começar a colocar os projetos em prática. Animado com o que aprendeu, Valessio Brito, estudante de publicidade, que veio de Jacobina (BA) conta que deu os primeiros passos para o desenvolvimento de seu aplicativo para Android durante a oficina de design e usabilidade. “O mais interessante foi começar a entender como pode ser a aparência e a dinâmica dentro do aplicativo. Isso me deu uma ideia de como quero que ele funcione.”

Momento de avaliação

Estimulados pela presença de pesquisadores e de profissionais que trabalham diretamente no mercado, os mobilianos se empenharam em evoluir seus projetos – cada estudante levou ao Campus Mobile uma ideia de aplicativo com potencial para impactar positivamente a sociedade. Durante a semana presencial, cada um deles pode apresentar sua ideia a uma banca formada por profissionais. Em 30 minutos, falaram do seu projeto e receberam orientação para o seu desenvolvimento, que a partir de agora se dará pelo sistema online, sempre com a orientação dos tutores do programa. E já no primeiro dia de avaliação, surpreenderam. “Estou extremamente impressionado com a qualidade das ideias", afirmou Guilherme Frenhani, gerente de desenvolvimento do Motodev, programa da Motorola - empresa parceira do programa desenvolvido pelo Instituto Claro, em parceria com o LSI-TEC (Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico).





Antes da banca, Frenhani havia apresentado em sua palestra dados que reforçam a relevância de iniciativas voltadas a tornar os dispositivos móveis aliados da sociedade para a busca de soluções em diferentes áreas: “Hoje são usados 5,3 bilhões de celulares em todo o mundo. Nos últimos dez anos, praticamente multiplicamos por dez o número de celulares no Brasil. No país, são 1,15 aparelhos por pessoa”, apontou. Com tamanha penetração de dispositivos como celulares e tablets na vida das pessoas, fazer deles ferramentas que possam impactar a saúde, a educação, o transporte e a mobilidade, além de diversos outros campos, é uma questão de investimento em boas ideias, como ressaltou a professora Roseli de Deus. “O celular é também uma ferramenta para a cidadania”, complementou Tereza Sita, coordenadora do Programa.

Acesso à criação

Com olhar aguçado para fazer das TICs ferramentas de transformação social, Leo Burd, pesquisador brasileiro do MIT (Massachusetts Institute of Technology), participou do Campus Mobile por videoconferência. Dos Estados Unidos, falou aos jovens da sua experiência e destacou que o desenvolvimento de aplicativos tende, ainda em 2012, a se tornar ainda mais acessível, mesmo para aqueles que não são programadores. “Aqui no Media Lab, no MIT, estamos trabalhando intensamente no ‘App Inventor for Android’, o investimento do Google que visa criar um espaço de criação aberto para que as pessoas possam buscar referências, criar seus aplicativos”, disse Burd.

É inegável, porém, que para os que têm como meta se dedicar ao desenvolvimento de soluções para dispositivos móveis e fazer disso a sua profissão, uma dose de empreendedorismo é necessária. O tema mereceu destaque durante a programação do encontro presencial, e Franco Lazzuri, CIO (chief information officer) da incubadora CIETEC conversou com os mobilianos sobre “Start-up e Empreendedorismo”. Foram muitas dicas de um profissional que contou já ter experimentado a falência de uma start-up. “Eu tinha apenas 21 anos, e era natural que ainda tivesse muito a aprender. O importante foi que dali tirei várias lições, e hoje lido com mais de 150 empresas no CIETEC.”

Rafael Barrera
Mobilianos reunidos no primeiro dia da semana presencial do Campus Mobile, que aconteceu na Poli-USP


Continuidade


O Campus Mobile segue no ambiente virtual, onde estão, ao todo, 90 universitários selecionados. Durante o programa, os participantes serão acompanhados por tutores e especialistas em tecnologia e Telecom e terão à disposição materiais didáticos específicos e um Ambiente Virtual de Aprendizagem, onde poderão trabalhar em seus projetos de forma contínua, monitorada e interativa. Em agosto , os universitários apresentarão os protótipos de suas aplicações. Aguardem as novidades!



Na nossa página do Facebook, você também encontra alguns resumos das palestras.

Leia mais:

Em encontro presencial, Campus Mobile reúne jovens de diferentes áreas para troca de conhecimento e orientação

Novos parceiros do Campus Mobile, Motorola Mobility e Movile reforçam programa que reúne jovens talentos


t_compartilhe

t_deixe_comentario2

Quero receber notícias do
Instituto
Blog
Projetos